Escola do Chimarrão em seu evento!
Clique aqui e solicite orçamento
Pesquisa diz que chimarrão pode reduzir taxa de colesterol e de triglicerídios
Apreciadores do chimarrão ganharam um novo argumento para defendê-lo na polêmica científica sobre os efeitos da bebida. Pesquisadores do Centro Universitário Feevale, de Novo Hamburgo, atestam que o mate, além de estimulante, faz bem ao coração.
O trabalho desenvolvido pela biomédica Rejane Giacomelli Tavares aponta que o uso de cem gramas de erva-mate por dia pode causar a diminuição de 29% nos níveis do colesterol e de 62% nos triglicerídios. Segundo a pesquisadora, quanto mais altos esses níveis, maior o risco de doenças cardíacas. A análise foi feita em ratos. Cobaias tratadas com um extrato semelhante ao chimarrão do gaúcho tiveram os indicadores reduzidos.
– Nós sabíamos que, quimicamente, a erva-mate é muito parecida com o chá verde que tem esses efeitos de diminuição. Queríamos saber se a erva-mate também tinha. Por terem uma semelhança química, elas poderiam mesmo ter essa relação – relata a pesquisadora.
Rejane considera a cultura gaúcha como um sinal de que a erva-mate funciona mesmo.
– O gaúcho, mesmo com o hábito da carne gorda do churrasco, não tem o índice tão alto de triglicerídios. Pode ter aí a influência do chimarrão – diz.
A pesquisadora alerta que para quem tem uma dieta normal o efeito pode não ser tão marcante. Ele foi feito direcionado a uma dieta específica. A eficácia também pode não ser a mesma para pacientes com altos índices de colesterol por disfunção genética e com uso controlado de medicação.
Com cuidado redobrado com a saúde após um susto em 2005, o comerciário Hélio Dirceu Fernandes, 62 anos, saúda os efeitos positivos da erva-mate que o acompanha a vida inteira.
– Tenho o chimarrão como um companheiro. Se apontam que ele é saudável, melhor ainda. Ele é meu vício. Se ele não me ajuda, pelo menos nunca me prejudicou – diverte-se.
Como foi o estudo
:: A análise foi feita em ratos de laboratório.
:: Durante um período de 30 dias, uma parte das cobaias consumiu uma dieta rica em gordura, açúcar e carboidrato, na base do chocolate, amendoim, bolacha e leite integral, misturada na ração padrão deles, enquanto um segundo grupo seguia sua alimentação normal.
:: Passados os 30 dias, os animais começaram a receber um extrato, via oral, semelhante ao chimarrão dos gaúchos, com erva-mate e água a uma temperatura de 70°C a 75°C.
:: Os animais foram tratados com extrato por 18 dias e em seguida tiveram as taxas de colesterol e triglicerídios medidas.
:: Quando chegou o resultado, os pesquisadores fizeram a constatação: os indicadores haviam diminuído.

Texto: Letícia Barbieri
Patrocinadores
Parceiros
INSTITUTO ESCOLA DO CHIMARRÃO
Produção e Organização
RTP Consultoria de Eventos Ltda
Rua Jacob Becker, 881 - Centro
Venâncio Aires - RS
CEP: 95800-000
Fone: (51) 3741.6573
pedro@escoladochimarrao.com.br
ACESSOS: 404840
Escola do Chimarrão - Copyright © 2014
Home
História
Entrevistas
Reportagens
Curiosidades
Indústria Erva Mate
Parceiros
Livro de visitas
Agenda
Notícias
Recados
Tipos de chimarrão
Propriedades medicionais
10 mandamentos
Receitas
Vídeos
Eventos
Contatos